msrowleys

Mais um post que quero deixar hoje, além de que Amando Uma Estrela sai sexta-feira às 20h, é essa imagem, simples mas significativa.
Tirei print de alguns dos comentários para poder resumir o bocado que eu recebi e agradecer do fundo do meu coração pelo carinho.
Vocês são absolutamente incríveis e eu me sinto honrada de ler essas mensagens. Eu realmente amo vocês e obrigada de verdade pela oportunidade que me dão de compartilhar o mundo imaginário que há muito tempo estava preso na minha cabeça.
Beijinhos, Rafa. 😘😘😘

P.S. Eu selecionei só alguns, mas recebi bastantes, e fico agradecida por todos. Não se sinta mal se não coloquei o seu, foi totalmente aleatório e isso não altera a importância.
P.P.S. AUE SEXTA HEIN? Quero comentários tambémmmm!

posted 1 month ago with 2 notes

Sexta, às 20h. Amando Uma Estrela.

Acho que o titulo é auto explicativo né?
GENTE EU TÔ MUITO ANSIOSA EU ACHO QUE VOCÊS VÃO FICAR DOIDAS E NÃO VEJO A HORA DE SABER AS REAÇÕES DE VOCÊS NOS COMENTÁRIOS PORQUE TÁ BEM INTERESSANTE.
Ai. Amo vocês. Até sexta, amores!!!!!! 😘😘😘

posted 1 month ago with 2 notes

YES!!!!!!

Descobri meu problema: pressão sobre mim mesma. O fato de enfiar cinco fanfics na minha cabeça de uma vez só, bagunçou com a minha vida, porque eu tinha ideia pra uma, mas pensava na outra, e ficava nervosa com as duas, esquecendo o que faria com a terceira.
Esse mês, vou liberar as fanfics uma de cada vez, uma em cada semana. Eu marcar uma data pra sair tudo foi idiotice.
A primeira a sair será Amando Uma Estrela, e vem nessa semana ou na outra — mas não passa disso. Acredito realmente que saia no fim dessa semana. E assim, semana que vem atualizo com uma fanfic interativa.
Estamos entendidos? Ótimo. Deixando claro que: eu perdi leitores pra caramba, tenho noção disso, então se você continua aqui, não deixe MESMO de comentar, porque o incentivo vai diminuir bastante e eu definitivamente não vou escrever pra ninguém ler. Obrigada, amo vocês.
Estou feliz e inspirada hoje! 😄

posted 1 month ago with 6 notes

Então, vamos conversar.

Que patética a minha presença, todos sabemos. O que acontece é que eu devo algumas explicações, e não sei se serão bem-vindas. A minha vida está confusa e engraçada. Diferente também, principalmente.

Além do Ensino Médio que está me dando muito, mas muito sono, tenho outras distrações, que tiram meu sono, e me dão mais sono. Ultimamente eu não estou podendo ter uma atenção absurda à One Direction, ou a outros ídolos, e não estou sentindo também essa necessidade. Além de que, ops, eu meio que, gosto de uma pessoa, completamente fora desse mundo na minha cabeça. E aí… Eu tô meio… SDMKFDMASOE, sabe? Meio sonsa.

E ao invés de isso, essa pessoa, me dar mais inspiração e criatividade, eu estou ficando cada vez mais imbecil. Eu pego pra escrever algo, e fico cheia de insegurança. Minhas fanfics estão basicamente escritas, mas eu estou com medo de postar, estou, não sei, confusa. Nervosa. Isso não tem um pingo de lógica, mas tudo bem.

Olha aí, agora são 5h da manhã e eu estou tentando reescrever para sair algo que me agrade. Estou aqui desde as 4h30, e nada de interessante. O que isso significa? Não sei exatamente.

Sei que: eu não posso abandonar vocês sem mais nem menos desse jeito. Então, estou fazendo o impossível aqui. Eu só queria fazer esse texto pra explicar isso pra vocês. Eu estou distraída com a minha vida, muito mais que estava antes. E eu não sei se tenho mais esse tempo, ou vontade, ou incentivo pra ficar no computador escrevendo ao invés de, sei lá, pensar em outras coisas.

Tá. Aí, o que vai acontecer é que eu vou postar as fanfics esse mês, sim, e só se eu tiver uma resposta positiva eu continuo com isso. Porque eu estou insegura demais e vocês vão ter que levantar minha autoestima pra ver se eu consigo, sei lá.

Isso tá muito confuso, eu sei, mas, enfim. Vocês entendem?

posted 1 month ago with 8 notes

ESQUECI O MAIS IMPORTANTE!

As fanfics saem esse mês galera!
Por volta do dia 15 ao dia 25. Estou ansiosaaa! ♥♥♥
Calma que já tá vindo!

posted 2 months ago with 9 notes

TUDO O QUE PRECISA SABER.

Olá vocês, boa noite, como estão? Espero que bem.

Bom, esse texto é informativo para que vocês possam saber o que tenho de novidade. Vou explicar como vai funcionar tudo em relação às fanfics e peço paciência porque é importante e significa muito para mim que vocês leiam tudo.

Como vocês sabem, agora eu sou dona de cinco fanfics. Amando Uma Estrela, E Se For Amor, Losts in the Forest, Make You Fall e A Video’s Price. E então vocês devem estar se perguntando se eu sou louca por fazer isso, porque eu demoro para atualizar, e também se perguntando como eu vou lidar com tudo isso. Muita calma nessa hora.

A ideia foi justamente tirar o estresse de vocês com a demora. Toda semana terá a atualização de uma fanfic, e na maioria das vezes de duas. Então basicamente vocês nunca vão ficar sem nada para ler. Esse é o meu objetivo principal.

Claro que, não significa que vocês têm que ler toda santa fanfic que eu posto, mas se não fizer isso, não reclame na demora da que você gosta especificamente porque eu tenho outras — que podem muito bem serem as favoritas de outras pessoas.

Primeira novidade então, atualização toda semana.

Agora vamos para as fanfics interativas, porque depois eu explico com mais detalhes Amando Uma Estrela e sua quarta temporada, já que é meu maior público. Se tiver certeza que não vai ler nenhuma fanfic interativa, vai descendo aí. Se não for preguiçosa, continue aqui, quem sabe você se interessa?

image

A Video’s Price. Começando com ela talvez porque é uma das minhas favoritas. Eu não sei exatamente o motivo da minha preferência, mas eu sou apaixonada com a ideia dessa fanfic e de certa forma tenho orgulho de escrevê-la.

Acho que convém dizer que eu detesto o nome dessa fanfic e provavelmente não leria se visse apenas o título em algum lugar. Digo isso porque pode ser o caso de vocês. E ainda não mudei o nome porque eu não consigo achar um melhor, mas enfim. A fanfic definitivamente vale a pena ler, mesmo com o título esquisito.

A fanfic é interativa sim, mas os meninos, no caso, são fixos e como devem saber, a história gira em torno apenas das garotas do Harry e do Liam. Apesar de citar o Liam, ele age mais como um personagem secundário, porque começou como uma fanfic pessoal então o principal é o Harry. Ainda sim, o fato de o Liam ser secundário não tira os momentos que ele tem na fanfic, mas a história do casal que Harry se inclui é mais intrigante. Então, se você não tem preferência entre os dois, leia com o Harry.

A história é basicamente de duas garotas que conseguiram ascensão na internet com vídeos caseiros comentando sobre variados temas [os bem conhecidos vlogs] e acabaram por conseguir com o sucesso dos vídeos, um programa na televisão. Com os privilégios da fama, elas têm a oportunidade de conhecer os meninos.

Parece totalmente clichê, mas aí que você se engana. A fanfic é totalmente mais realística. São coisas que você olha e percebe que tem chance de acontecer. Talvez pouca, mas tem. Não é nada de amor à primeira vista, ou uma paixão absurda — tipo AUE, cof —, é bem interessante.

E o que eu resolvi também evidenciar para deixar ainda mais “imaginável”, foi colocar as garotas como fãs, como nós somos. Talvez não tão loucas como a gente, mas ainda sim fãs, que têm a paixão pelo ídolo. E a realidade de fã nós conhecemos bem e sabemos que se conhecermos os meninos não vai ser tudo rápido e fácil — isso entra na fanfic.

No mais, vale a pena ler, pelo menos eu acho. Por favor, quando eu postar os dois primeiros capítulos, deem uma passada só para ter noção do que se trata. Garanto que não vão se arrepender.

Mentira, não garanto nada, mas passem lá mesmo assim.

image

 E Se For Amor. Primeiramente, sim, eu tirei a interrogação do nome. E, bom, essa vocês conhecem bem.

Já perdi a conta de quantas vezes eu reescrevi essa fanfic e mudei a história toda, mas dessa vez não vai ser assim, prometo. Eu vou mudar coisas nos capítulos que estavam postados, mas não acho que vai ser uma mudança absurda. É tudo para melhorar a fanfic, então.

Bom, para quem não conhece, a história de E Se For Amor é bem simples. Conta a história de um garoto e uma garota que se conhecem há tempos. Ela consome ódio por ele e antigamente ele retribuía, mas então ele começa a sentir um sentimento totalmente contrário. E a fanfic começa assim.

Então têm conflitos entre eles, bastante surpresas e aos poucos ela começa a mudar a visão ruim e ele começa a conseguir conquistá-la. Claro que nada de questão de segundos ou de três capítulos. Tem história e várias cenas para dar gosto à leitura.

A fanfic é interativa e o fato de o Harry estar na capa não interfere em nada, eu coloquei o Harry porque sim. Ninguém é fixo, você põe a pessoa que quiser e faz o que quiser. Com certeza pode colocar aquele menino da sua sala que você gosta, fica bom do mesmo jeito. Não atribuí características físicas e não existe fama na fanfic, leiam como desejarem.

Enfim. Se você já lê, continue lendo porque ela está legal. E se não lê, dê uma olhada porque vai que você resolve ler meses depois e se arrepende de não ter lido quando lançou? Sabe, acontece.

image

Losts in the Forest. Bom, essa é a mais fanfic mais fictícia que eu escrevo.

Eu já escrevo há um bom tempo e vocês já leram uma versão dela que agora eu mudei totalmente. O que aconteceu? Os capítulos estavam indo bem, e então comecei a empolgar com o romance e coloquei tudo muito rápido. Rápido em todos os sentidos. Eu quis acrescentar mais drama.

Além disso, tinha que haver uma explicação lógica para o que acontecia nas cenas e depois de um tempão com a fanfic parada, eu tive uma ideia. Graças a Deus porque eu não podia acabar essa fanfic.

Mudei bastante coisa, admito. Só que o foco principal de você e o romance com o cara que você gosta continua o mesmo. Eu mudei completamente o objetivo de alguns personagens e o jeito que tudo começa. Mas eu garanto que está muito, muito melhor.

A história é basicamente de um grupo de primos e alguns amigos que resolvem explorar a floresta da cidade [Lanving] da sua avó, aonde vão passar as férias. Só que nessa floresta começam a acontecer coisas sobrenaturais quando uma determinada pessoa entra nela. Quem entrar e tiver o sangue dos Lanving nas veias, “acorda” a floresta. Os Lanving eram uma família diferente que descobriu a cidade.

Na floresta, moram alguns personagens que você vai determinar. De repente, as coisas sobrenaturais começam a acontecer e o grupo que explorava é obrigado a se encontrar com os personagens da floresta. E aí começa a história.

Começam os conflitos e a pergunta que não se cala: quem entrou ali que tem o mesmo sangue dos Lanving.

No meio de tudo isso, tem o romance entre você e o seu primo. Primo que não é de sangue, porque você é filha do adotivo da família.

Basicamente eu confundi a cabeça de todo mundo, então, leiam a fanfic que garanto que vão entender. Ela é bem alternativa e realmente fictícia, mas isso que a torna legal. Ela é emocionante de escrever e também, na minha humilde opinião, de ler.

Ela é interativa e novamente não tem personagens fixos. Você coloca quem você quiser nos espaços para cinco meninos e cinco meninas. Pode colocar todos os meninos da 1D com suas amigas, ou jogadores de futebol com atrizes famosas — a escolha é sua.

Por favor, leiam. Ela é estranhamente interessante.

image

Make You Fall. A última, mas não menos importante. Primeiramente acho que convém dizer que a capa com a cara do Justin não significa muita coisa — apenas que seu personagem é um cara que joga basquete.

É uma fanfic nova e vocês não devem ter muita noção de como funciona, então, vamos lá.

A história é de uma garota que tem os pais separados que moram em cidades distintas. Ela mora com sua mãe e quando vai cursar o último ano do Ensino Médio, o pai dela, que mora numa cidade grande que você define, a chama para morar com ele porque o colégio de lá ajuda nas vagas para uma boa faculdade.

Só que, o pai dela é casado com uma mulher na cidade que ele mora, e essa mulher, he, já tem um filho fora do casamento. Então, a garota começa a morar na casa do menino e aí o romance começa.

Realmente, admito, um pouco clichê, só que é um clichê legal. Os personagens e suas personalidades deixam a fanfic longe de ser chata, então no fim das contas chega a ser interessante.

Novamente, o Justin está na capa porque eu escrevo imaginando o Justin, só que você pode colocar realmente quem você quiser colocar. Não há características físicas atribuídas, só fala que o garoto joga basquete e isso dá pra imaginar com qualquer pessoa, sinceramente.

 Por favor, leiam, porque mesmo com a história parecendo boba, vocês vão gostar. Deem uma passada nos primeiros capítulos que vou postar e aí depois julguem.

image

E vamos finalmente para Amando Uma Estrela.

Então. Quarta temporada. Oitenta e nove capítulos. Um ano, oito meses e 29 dias.

Primeiramente, obrigada por quem tá aí desde o início e gostaria de dizer uma coisinha: haja paciência.

Olha, não vou falar muita coisa sobre isso não porque vocês já estão cansadas de saber o quão agradecida eu estou pelo carinho de vocês comigo e com essa fanfic. Vocês me apoiam sempre independentemente de tudo e eu amo muito vocês.

Certo, quarta temporada. Chamei de Amando Uma Estrela IV porque eu amo números romanos e então resolvi acrescentar números romanos em todas as temporadas. Podem olhar lá. E, sim, tirei o “o recomeço” de AUE III porque estava patético. Podia até não estar, se todas as temporadas restantes tivessem outras palavras acompanhando também.

ENFIM.

A história vocês já sabem muito bem qual é e também sabem, eu espero, que a terceira temporada não acabou bem para nenhum casal. Exceto o Liam que finalmente está com a pseudobunda no sofá apenas observando tudo. Se você não gostou disso, tenho boas notícias.

Quarta temporada, para a maioria dos casais, será só alegria!

Mentira, em capítulos específicos será só alegria. Tem muita treta ainda gente, se não, não é Amando Uma Estrela, convenhamos.

Eu não sei exatamente o que vocês têm que esperar dessa nova temporada, então a única coisa a fazer é continuar acompanhando. Porém, posso dizer umas coisas:

Harry e Jennifer devem ficar juntos sim em algum momento, mas isso tem uma probabilidade provável de demorar. Também, tem a inclusão de um novo personagem muito fofinho pra dar um ar de unicórnio e arco-íris na fanfic e não é difícil adivinhar quem é. Bom, todos os casais terão seus momentos felizes e infelizes. Além de que talvez vocês vão ver uma pessoinha que não apareceu na terceira temporada e vocês devem estar com saudades. E!!! A escrita teve uma evolução desde a temporada passada e com certeza está muito melhor. Gente, se gostaram das temporadas anteriores, vocês vão amar essa.

Na verdade, eu tenho muita coisa pra falar só que eu não quero estragar a magia que é ler essas coisas, então vamos fingir que eu não sei de nada.

Por enquanto, contentem-se com um vídeo/trailer que eu fiquei fazendo até 4 da manhã sobre a temporada. Eu demorei pra caramba então tenham consideração comigo e assistam, compartilhem, deem um like, comentem, façam tudo.

Espero que tenham lido tudo e MANIFESTEM-SE sobre tudo também, por favor. O que acharam das capas, das fanfics novas, das antigas, dos vídeos, de absolutamente tudo, por favor, quero saber o que vocês acharam. Cliquem aqui.

E desculpem meu exagero com palavras.

E!!!!!1111111 Se não entenderam alguma coisa ou têm alguma pergunta a fazer, eu criei um ask.fm e responderei com muito amor tudo o que quiserem saber. Tudo mesmo. Aqui, ó: ask.fm/harrysfixer.

Curtam o vídeo agora, amo muito vocês. 

O link é esse se não conseguir ver aqui embaixo e se quiser ver no YouTube para comentar, curtir e tal: http://youtu.be/AB2LBeM58UU

posted 2 months ago with 2 notes

Há vinte anos nascia o motivo dos meus sorrisos mais sinceros. Nascia o motivo dos meus choros mais sofríveis. Nascia aquele que em pouco tempo tomaria conta da minha mente. Nascia o dono do sorriso mais lindo do mundo. Nascia o ser humano mais admirável do universo. Harry nascia. Simplesmente o homem que não consigo mais imaginar a falta de sua presença em minha vida.
Hoje, ele completa vinte anos. Vinte anos de ingenuidade, pureza, gentileza, sensibilidade, carisma e talento. Vinte anos de uma vida admirável e de um homem inspirador. Vinte anos de quem eu amo mais do que tudo e tenho todo o orgulho do mundo de amar.

posted 2 months ago with 13 notes

Olá!

Boa noite, queridos leitores. Estou neste momento fazendo um intervalo do meu dever extenso de português para dizer a vocês que estou viva, obrigada.
He, além disso, também tenho que mantê-los informados sobre as atualizações. Bom, quando tiver chegando a hora de postar, eu darei detalhes mais profundos sobre como vai funcionar, mas por enquanto saibam que as fanfics vão sair por volta do dia 15 de fevereiro.
Eu já estou tendo aula desde o dia 21, infelizmente, e agora eu estou no Ensino Médio (yay), então tá bem mais puxado e mais cansativo. Eu ainda não me adaptei totalmente ao horário em relação ao horário que dormia e acordava nas férias, então eu hiberno durante a tarde e na madrugada consigo fazer minhas obrigações. E isso tá bem merda pra mim, mas vou me organizar.
No mais, quero agradecer aos comentários em Amando Uma Estrela, foram bons e muito bem-vindos, e eu espero a mesma recepção com as fanfics que virão. Estou ansiosa com tudo isso e não vejo a hora de postar tudo bonitinho pra vocês.
Como disse, depois dou detalhes mais profundos. E não fiquem bravas com o tempo, estou fazendo o possível e impossível porque eu nem devia ter uma fanfic com tudo que tá rolando na minha vida. Mas eu sou assim e tenho cinco, então.
Vim só para não preocupá-las porque umas estavam pensando que eu tinha morrido. Ainda não, he. Apesar de que tenho motivos para ficar depressiva com o atual estado de Harry Styles, mas convenhamos que é um assunto desagradável.
Vou terminar meus deveres e tentar dormir, então por enquanto é isso. Amo vocês e volto bem, bem em breve, com novas informações.
Beijinho no coração,
Rafa.

posted 2 months ago with 1 note

Capítulo 15 - Fading star.

[FICOU HORRÍVEL MAS TÔ SEM TEMPO]

Harry pegou a almofada que lhe foi atacada e colocou ao seu lado da cama, olhando para Jennifer, que estava exasperada. Umedeceu os lábios e respirou fundo, enquanto ela quase chorava.

— Dá pra se acalmar, Jennifer? — Perguntou ele, sério, mas lançando-a um olhar doce. A pose de Jennifer se despencou e ela se sentiu como uma criança recebendo bronca do pai. Harry abriu os braços. — Vem aqui.

Jennifer fungou e se deitou com Harry, abraçando-o, procurando consolo. Começou a chorar enquanto ele aprofundava o abraço e acariciava suas costas, sem se manifestar.

Jennifer soluçou, fungando. — O que você quer de mim, Harry?

Harry estava se sentindo péssimo com toda a situação, mas também estava intrigado. Precisava falar com ela, tentar explicar o que afinal estava acontecendo na sua cabeça. Entendeu que realmente queria algo dela.

Sem se manifestar, usou as mãos que acariciava o corpo de Jennifer para segurar a nuca dela, trazendo-a um arrepio. Ela se apoiou na cama assumindo a expressão confusa e em apenas um movimento Harry a puxou, beijando-a, finalmente, nos lábios. O coração de Jennifer se acelerou abruptamente, fazendo-a pensar que a qualquer momento ele pararia. Seu corpo estava todo arrepiado, assim como o de Harry. Ele aprofundou o beijo, passando o braço pela nuca dela, impedindo que ela se mexesse. Beijavam-se com intensidade e permaneceram daquela forma por segundos consideráveis.

Harry que se afastara quebrando o beijo, mas Jennifer estava feliz demais para perceber algum tipo de incômodo nele que, na verdade, existia. Beijou-o novamente, brevemente, e sorriu, enquanto dizia:

— Obrigada por me ouvir pelo menos uma vez — sussurrou ela, fazendo menção em beijá-lo novamente.

Harry não a deixou fazê-lo. — Espera — murmurou ele, afagando os cabelos na nuca dela. — Agora sua vez de ouvir, Jay.

O sorriso de Jennifer se fechou pelo tom usado. Ele havia acabado de beijá-la, mas não parecia como se tivesse realmente. Sério e fisicamente inexpressivo. 

— Por que eu estou com medo? — Perguntou Jennifer, juntando as sobrancelhas.

Harry olhou-a intensamente nos olhos e tirou-a de cima de si, ajeitando-a ao seu lado. Virou-se para ficar de frente para ela, sentindo um pouco de dor, mas ignorando esta. Então suspirou, para começar a dizer: 

— Noite passada eu beijei você. Foi apenas um toque de lábios e, tempo depois, você me beijou da mesma forma. — Jennifer franziu as sobrancelhas mais uma vez, angustiada com o rumo que a conversa levava. Harry permaneceu sério e continuou falando devagarmente, como costumava falar: — Claro que eu senti um… arrepio, digamos assim, porque eu estava com saudades de você. Porém, eu percebi, depois que você saiu irritada daqui hoje, antes de o Niall ligar, que eu esperava uma coisa. Então fiquei intrigado. 

Jennifer prontamente o interrompeu: — Esse é o problema, Harry, você fica pensando em coisas sem sentido, isso nos destrói!

— Jay, deixa eu falar — pediu Harry, mantendo a calma. 

Jennifer soltou um suspiro e cerrou os olhos, empurrando Harry com leveza, fazendo com que ele se deitasse de costas para baixo novamente. Abraçou-o e acomodou-se no corpo dele depois. Ele retribuiu o abraço e passou a olhar para o teto, enquanto Jennifer olhava para o seu guarda-roupa. 

— E o que você estava esperando, Harry? — Perguntou ela, um pouco impaciente.

— Jennifer, você estava com raiva de mim segundos atrás. Eu te dei um beijo e agora parece que nada aconteceu, certo?

— Não, porque eu estou com raiva de novo com essa conversa.

Harry sorriu. — Mas se eu disser para ignorar tudo o que eu falei e beijar você de novo, tudo fica bem de novo, não é? 

— Talvez? 

— Com certeza — Harry a corrigiu. 

— Aonde quer chegar? 

— Eu costumava me sentir assim, Jay. Você sabe, renovado. Beijava você e tudo entrava nos eixos. — Afagou a nuca de Jennifer e umedeceu os lábios, prosseguindo: — Eu esperava isso ontem. E eu acabei de te beijar e continuo me sentindo… incompleto. 

O silêncio se instalou no quarto. Harry esperava por alguma reação e Jennifer tinha várias ao mesmo tempo, mas não as manifestava. Ele queria beijá-la e cair no esquecimento, mas ela não sabia exatamente do quê. 

— E por que está com raiva de mim mesmo? — Perguntou Jennifer, com um pingo de deboche. 

— Não é raiva — Harry disse. — É uma espécie de orgulho, Jennifer. Em relação a tudo, desde… a Emma. 

— Pelo amor de Deus. 

— A falta de confiança, tudo o que passamos e tudo o que eu sofri — Harry ignorou o comentário de Jennifer, murmurando. — Então nós voltamos por um segundo praticamente, veio a mensagem e tudo mais e depois, por você e tudo aquilo, eu me transformei em outra pessoa do tanto que estava arrasado. 

Jennifer não sabia o que dizer, então ficou em silêncio, dando espaço a Harry para continuar:

— Seu beijo sempre foi a cura, Jay, mas eu não estou me sentindo… curado. 

Jennifer se levantou, apoiando-se na cama, ficando no ar em cima de Harry. — Você está dizendo que não sente o mesmo em relação a mim?

Harry balançou a cabeça negativamente e posicionou as mãos nas bochechas de Jennifer, olhando-a com intensidade. — Não, Jennifer, eu sinto que falta alguma coisa. Eu não me sinto completamente bem como antes. 

Jennifer ergueu as sobrancelhas. — E o que eu tenho que fazer? — Perguntou. Harry não lhe deu uma resposta, então insistiu: — O que vamos fazer, Harry?

— Eu não sei, eu acho que não devíamos apressar, precisamos de um tempo para reconciliarmos totalmente, Jenny, voltarmos a ser como…

— Harry, você tem que parar de se complicar tanto para dizer coisas simples — Jennifer murmurou, com a voz levemente embargada de choro, interrompendo Harry. Ele franziu as sobrancelhas, confuso com a voz e também com a fala. — Dissesse apenas que quer terminar comigo, doeria bem menos do que essas enrolações.

Harry arregalou os olhos. Pensava em como Jennifer conseguia entender tudo absurdamente ao contrário do que ele dizia. 

— Eu não estou terminando com você, eu nunca vou terminar com você, nunca conseguiria — disse ele, incrédulo. — Ficou doida? Estamos só conversando! 

Jennifer se sentou. — Eu já cansei dessas conversas, Harry, elas que são doidas! — Exclamou, sem pudor. — Vamos precisar de quanto tempo? Até que a princesa se sinta bem o suficiente pra ter um relacionamento comigo, você quer mesmo que eu fique esperando como se estivesse tudo bem?

— Não me chame de princesa — Harry pediu, ríspido. Também tinha se sentado. — Eu só estou pedindo um pouco de compreensão, Jennifer, eu poderia simplesmente fingir que está tudo bem, mas eu não consigo. 

— Eu também não consigo e não vou fingir enquanto fico esperando você decidir se quer ficar comigo ou não. 

Harry ficou em silêncio e olhou para qualquer ponto no quarto, considerando o que Jennifer dizia. Começou a repensar sobre seus conceitos e na injustiça que impusera, sendo brutalmente interrompido por ela que voltava a falar, chorando: 

— Isso nunca vai dar certo, Harry. Nós não nascemos um pro outro como dizíamos. 

Harry olhou para Jennifer, incrédulo com o que ouvira, e sentiu seu coração acelerando abruptamente. Ela se levantou e os olhos dele marejaram, enquanto seus lábios e suas mãos começaram a tremer.

— Nunca repita isso, Jennifer — Harry sussurrou, balançando a cabeça. Começava a se desesperar àquele ponto: — Claro que vai dar certo, vamos chegar a um consenso, sempre chegamos a um consenso!

Jennifer simplesmente chorava, mas sem escândalos. As lágrimas escorriam em suas bochechas e o tremor de seus lábios era incessante, mas não saiam sons. A amargura tomava conta deles.

— Vamos ficar dependendo de consensos até quando, Harry? 

Aquela fora sua última pergunta antes de virar-se para a porta e deixar Harry sozinho no quarto. Foi tudo muito rápido.

Harry logo começou a gritar o nome de Jennifer pedindo para que ela voltasse. Gritava a plenos pulmões, com sua voz rasgando sua garganta.

Bufou quando percebeu que a resposta definitivamente não viria. Ele não podia se levantar da cama porque sabia que sentiria muita dor, mas nada se compararia ao que ele sentia naquele momento.

Respirando com dificuldade de modo descompassado, Harry virou as pernas e conseguiu tocar os pés no chão. Colocou uma mão na pequena cômoda ao lado da cama e a outra no colchão, pressionando as duas contra os objetos para dar impulso. 

Ao sentir seu peso em suas pernas gritou, a dor era surreal. E quando pensava que morreria, lembrava-se de Jennifer, que definitivamente era mais importante que aquilo. Continuou com a respiração descompassada e engoliu o choro, levantando a cabeça disposto a andar. 

Quando deu o primeiro passo, gritou mais uma vez e sentiu desequilíbrio já que sua mão não podia mais se apoiar na cama. Girou o corpo e debruçou-se na cômoda, apoiando as duas mãos nesta. Ao debruçar-se, gritou mais uma vez, a dor tinha piorado. Era tanta que Harry não aguentou e acabou impulsionando o corpo para que pudesse cair na cama.

Quando o fez, seu corpo caiu de barriga no colchão e sua perna bateu com extrema força contra a lateral da cama.

A dor se tornou insuportável.

x

Liam acenou para mais uma fã antes de entrar no McDonald’s de Newcastle e Niall foi empurrado pelo segurança para dentro. Fecharam o local e fãs começavam a se aglomerar na entrada.

— Acho que vamos ter que ir embora — observou Louis, coçando a nuca.

— Não! — Exclamou uma das atendentes, que ouvia a conversa e via a situação toda. — Meu gerente disse para que fiquem à vontade, por favor.

— As fãs vão acabar com esse estabelecimento — Liam murmurou, olhando para a moça como se perguntasse se ela tinha certeza do que fazia. Ela insistiu. — No mínimo, quebrarem a porta.

— Liam, se essa bela moça disse para ficarmos, vamos ficar — Niall disse, sorrindo e já se acomodando em uma das mesas.

Zayn soltou uma curta risada e acompanhou seu amigo, observando cor que a atendente tinha ficado. Liam deu de ombros e se sentou, meneando a cabeça para os seguranças, que seguiram até a porta.

— Então, o que vão querer? — Perguntou a atendente, sorrindo.

— Não sabia que McDonald’s tinha tipo garçonetes — Louis comentou sarcasticamente, já sentado, tirando o celular do bolso.

— Ah, não temos, mas vocês são os únicos clientes.

Louis ergueu as sobrancelhas e cerrou os lábios, ignorando a mulher completamente, olhando para seu celular. Liam se sentiu um pouco incomodado com a grosseria então sorriu para a moça, dizendo:

— Não precisamos de um tratamento diferente, vamos pensar e iremos lá para pedir. — Sorriu mais uma vez. — Obrigado mesmo assim.

A atendente sorriu e assentiu. Mas antes de sair, Niall a perguntou seu nome. Anna. Liam elogiou o nome e Anna saiu de lá satisfeita, indo contar a gentileza para suas colegas de trabalho.

— Louis, ela estava sendo legal, não entendi — Liam murmurou, assim que a moça saiu de perto.

Louis deu de ombros. — Não gosto de tratamentos especiais.

— Você é o que mais gosta — Niall observou, Liam concordou.

Louis levantou-se. — Então vou ao banheiro.

Os olhares dos três meninos restantes fixaram-se em Louis, que seguia calmamente até o banheiro como se nada tivesse acontecido. Niall fez uma careta e Zayn mexeu-se inquieto, pronunciando-se:

— Aconteceu uma coisa hoje cedo.

— Com certeza aconteceu — observou Liam, erguendo a sobrancelhas.

— Não, eu digo, aconteceu, eu sei o que aconteceu — Zayn murmurou, respirando fundo. Certificou-se de que Louis tinha entrado no banheiro e ajeitou-se na cadeira. — Ele brigou com a Bella.

— Impossível — Niall disse, incrédulo. O restante franziu as sobrancelhas. — Bella não fica com raiva de ninguém, sério.

— Mas o que aconteceu? — Liam indagou, debruçando-se na mesa. — Fale rápido, daqui a pouco ele volta.

Zayn soltou um suspiro. — Então. Ashley começou a trocar uns tweets descarados com o tal Mark, fotógrafo do estúdio em que ela trabalha. — Zayn coçou a nuca. Ele sussurrava. — Bella também trabalha lá, vocês sabem. O que aconteceu é que eu comecei a me incomodar com a situação, afinal, ele fica vendo a Ash e eu não.

Niall não se conteve em rir, atrapalhando a explicação. — Vocês são muito inseguros com suas namoradas, Deus me livre.

Liam balançou a cabeça negativamente. — Eu não sou.

— Posso terminar? — Zayn interrompeu. Liam e Niall assentiram. — Certo, então eu comentei com Louis que estava estressado com Mark e Ashley, e ele disse que odiava o Mark. Afinal, ele fica tirando fotos da Bella com as roupas e essas coisas absurdas.

— Zayn, é o trabalho dele. E da Bella! — Niall exclamou, estupefato.

— E então — Zayn prosseguiu, ignorando o comentário, — eu disse a Louis que não queria Mark perto da Ashley, e ele concordou comigo.

— Nossa — Liam comentou.

— Gente, o cara é pinta, e eu e Louis não podemos ficar lá com elas o tanto que queríamos, temos nossos motivos — Zayn explicou, cabisbaixo.

— Eu entendo — Liam disse. — Mas elas ficaram bravas por essa conversa?

— Não. — Zayn balançou a cabeça. — Eu dei a ideia de ligarmos para o estúdio, para ver se tinha como trocarem o Mark por uma fotógrafa, dizendo, sei lá, que nossas namoradas se sentiriam mais à vontade, coisa boba.

Niall gargalhou. — Vocês são loucos.

— Sim, eu comentei com o Louis, mas disse que não teria coragem de ligar — Zayn prosseguiu, umedecendo os lábios. — E então ele chegou pra mim depois dizendo que eles acabaram demitindo o Mark, porque ele tinha ligado.

— Uau. — Liam arregalou os olhos.

— Ashley ficou bastante brava comigo, estamos brigados também — Zayn disse. — Mas o estranho é que Bella tinha ficado completamente bem com a situação, o que me fez descobrir hoje que Louis havia colocado a culpa toda em mim.

Liam e Niall ficaram em silêncio, surpresos com a revelação.

— Estávamos em um chat em vídeo com as meninas hoje e ele revelou isso pra mim e pra elas. — Zayn mordeu o lábio inferior. — Bella ficou com raiva, Ashley não fala comigo e no fim das contas, foi isso.

— Foi hoje, né? — Niall perguntou. — Porque vi Louis falando com a Bella ao telefone, todo animado ontem. Você que estava calado, mas você sempre é assim.

Zayn fez uma careta, fazendo Niall rir. — Sim, foi bem antes de ligarem.

Após o comentário, Louis saiu do banheiro correndo com o celular em mãos. Ele estava aparentemente desesperado e o restante dos meninos prontamente se levantou.

— O que foi, Louis? — Niall quase gritou.

— O Harry!

x

Ashley agradeceu a gentileza dos pais de Isabella após o almoço e perguntou se podia levar para a amiga, que estava em seu quarto. Havia dito para os pais dela que Isabella estava com dor de cabeça. O que não deixava de ser um pouco verdade.

Pegou a bandeja com um prato cheio por comida que Victor, irmão de Isabella, tinha lhe providenciado.

Ashley bateu na porta duas vezes e não teve resposta. Suspirou e abriu-a subitamente, deparando-se com Isabella deitada em sua cama, envolta por uma colcha. O ar condicionado estava ligado, deixando o clima totalmente agradável. Exceto pela expressão facial que Bella tinha em seu rosto.

— Sabe, você quase me bateu quando o Zayn fez Mark ser demitido — murmurou Ashley, colocando a bandeja sobre uma cômoda de roupas, junto a alguns itens de maquiagem. — Por quê? Porque eu estava estressada pelos cantos e chata, não queria falar com ninguém e…

— Ash, eu não preciso de sermões — murmurou Isabella, dando um sorriso falso. — Primeiro, porque eu estou apenas chateada com o Louis e pensativa, não estou choramingando pelos cantos como você. E segundo, eu sou mais velha, não preciso de seus conselhos.

Ashley responderia à altura, mas se segurou e apenas sentou-se ao fim da cama. — Não está choramingando, mas está me tratando como um cachorro — murmurou ela. — Dispenso, obrigada.

Bella abaixou os olhos para suas mãos e entrelaçou-as. — Desculpa — disse ela. Levantou o olhar e levou-o para a cômoda de roupas. — Aquilo é pra mim?

Ashley assentiu. — Achei que precisava comer.

— O que você fez com meus pais? — Perguntou Bella. — Detestam que eu coma no meu quarto.

Ashley deu de ombros, rindo. — Sou adorável.

Isabella não respondeu e apenas sorriu, minimamente. Ashley se levantou e separou o prato da bandeja, entregando-o para Bella, junto com garfo e faca. Isabella já havia se sentado, então apenas colocou o prato em cima das coxas, sobre a colcha.

Um silêncio fatal se instalou no quarto e Isabella e Ashley ficaram apenas encarando uma a outra, com seus próprios pensamentos. Apesar de que, os pensamentos não eram tão distintos.

Isabella quebrou o silêncio:

— Sabe, você devia falar com o Zayn.

Ashley franziu as sobrancelhas. — Por quê?

— Não foi culpa dele — murmurou Bella, mexendo as pontas do garfo entre a comida. — Ele deu a ideia, Louis que fez tudo. Zayn não esperava muito, só tinha ciúmes.

— Mas ele deu a ideia — disse Ashley. — Significa que ele não confia em mim.

Isabella balançou a cabeça negativamente. — Significa que ele tem ciúmes de você, porque te ama, só isso.

— Você acreditou que ele queria só uma fotógrafa?

— Sim, e você devia também. Conheço o Zayn e conheço o Louis. — Isabella soltou o garfo no prato. — Louis sempre exagera.

— Ele não tem medo de nada.

— Exatamente — murmurou Bella. — Eu sei que ele estava com ciúmes também, mas nós tivemos uma conversa sobre isso, e é o que me chateou. Foi justamente a conversa que pela primeira vez eu disse “eu te amo”, assim, verdadeiramente.

Ashley fez uma expressão facial apaixonada, fazendo Bella jogar-lhe uma pequena almofada quadrada que tinha sobre sua cama. Ashley gargalhou e permitiu seu corpo deitar-se, em cima das pernas de Bella.

— O que me chateia é o Mark, Bells — Ashley prosseguiu. — Ele não merecia isso.

— Não sei, eu nem gostava muito dele.

Ashley sentou-se prontamente. — Por quê?

— Ele me dava umas cantadas — murmurou Bella. — E pra você também, mas você parecia não se importar.

— Claro que não, ele apenas me elogiava às vezes — Ashley disse, convicta. — Elogios amigáveis.

— Um cara como o Mark não dá elogios amigáveis pra mulher nenhuma. — Bella ergueu as sobrancelhas ao constatar. — Ash, fala com o Zayn. Ele tinha um pouco de razão.

— Se é assim, Louis também tinha. — Ashley cruzou os braços.

— Mas é diferente.

— Não é.

— Eu falo com o Louis se você falar com o Zayn — Bella disse.

— Ah, é? — Ashley ergueu as sobrancelhas em desafio. — Só falo com o Zayn quando você falar com o Louis.

x

Maryane ajeitou-se na cadeira e lançou um pequeno sorriso para Lucas, após ele ter colocado seu pedido em sua frente. Provou sua bebida e observou Lucas se sentar, absurdamente animado.

— Então — murmurou ela, coçando a nuca. — O que eu assino?

— Mary, calma — pediu Lucas, franzindo as sobrancelhas.

— Quero que isso seja profissional.

— Não pode ser amigável? — Lucas ergueu uma de suas sobrancelhas. Maryane não respondeu. — Qual é, Mary.

Maryane suspirou, dando-se por vencida. Ingeriu mais sua bebida, antes de murmurar:

— Obrigada pelas flores.

Lucas sorriu, mostrando suas belas covinhas. — Sabia que ia gostar.

— É, não sei se posso aceitá-las — murmurou Maryane, prosseguindo. Lucas franziu as sobrancelhas. — São falsas, eu teria que guardá-las, em um momento Liam veria.

— Nós podemos ter uma conversa sem citar o Liam? — Lucas perguntou, balançando a cabeça. Bebeu mais de seu café. — Eu não fico falando da minha namorada o tempo todo.

Maryane ergueu as sobrancelhas. — Você está namorando?

Lucas sorriu, contendo-se para não rir. — Sim. O nome dela é Katie. Aqui de Londres, trabalha em uma biblioteca.

— E você… me comprou flores e me chamou para um café?

— Isso é crime?

— Não. — Maryane descansou os braços na mesa. — Mas ela não se incomoda?

Lucas riu. — Acho que não — ele murmurou. — Na verdade, eu preciso da sua ajuda, Mary.

Maryane franziu as sobrancelhas. — Por quê?

— Estávamos em uma festa, eu e Katie, e o ex-namorado dela estava lá também. De repente ela me beijou e pediu para eu ser o namorado falso dela por um instante — Lucas começou a explicar. — Acontece que eu acabei meio que gostando dela de verdade.

— É um namoro falso pra causar ciúmes?

— Exatamente.

— Você me chamou para esse café para te ajudar?

Lucas deu um sorriso culpado. — Talvez?

— Isso é sério? — Maryane riu, balançando a cabeça em desaprovação. — Lucas, se ela quer fazer ciúmes, ela gosta do ex dela.

— Eu sei, mas eu quero mudar isso — Lucas disse, debruçando-se na mesa para chegar mais perto de Maryane. — Eu gosto muito dela, Mary, e eu quero que ela goste de mim também.

— Há quanto tempo vocês “namoram”?

— Três semanas. — Ele se afastou novamente. — Toda vez que tem um lugar pra ir, ela me chama. Acabou que viramos amigos, mas eu verdadeiramente gosto dela.

— Você pode escrever um livro sobre isso.

— Você vai me ajudar? — Lucas perguntou, suplicando com o olhar.

Maryane conteve-se para não rir. Havia realmente chegado a pensar que ele tinha algum interesse naquele pseudoencontro em uma cafeteria. Principalmente após as flores. Entretanto, sentiu-se feliz e aliviada.

— Como eu ajudo? — Perguntou, Lucas se animou.

— Vá um dia na biblioteca e procure pela Katie — murmurou ele. — Virem amigas e depois você fala de mim! Não é assim que mulheres fazem?

Maryane gargalhou. — Não exatamente.

— Mary, por favor, aposto que vai dar certo.

Maryane riu novamente da inocência. — Eu posso tentar, mas não te garanto nada.

— Obrigado! — Exclamou Lucas, levantando-se animadamente.

Maryane franziu as sobrancelhas e soltou uma curta risada, enquanto ele se aproximava. Ele a fez se levantar para poder abraçá-la em agradecimento. Ela estava feliz, então retribuiu o abraço. Para ela, fora como desculpas pelo primeiro encontro estranho que um dia tiveram.

O abraço seria mais longo se o celular de Maryane não começasse a tocar. Lucas se afastou e olhou para ela, incentivando-a a anteder. Maryane prontamente levou o celular ao ouvido. Era Liam no identificador.

— Oi, amor!

— Mary Jane, finalmente!

— Louis? — Franziu a sobrancelhas. — O que está fazendo com o celular do Liam?

— Ele está lá dentro, sabe da Jennifer?

— O quê?

— Ashley e Bella são impossíveis de conversar, a Julia também não atende, você é a única, fala que sabe da Jennifer, Mary!

— Eu… não sei da Jennifer.

Louis bufou. — Ela não te ligou? — Perguntou, levemente exasperado.

— Devia? — Indagou Maryane. — Louis, o que aconteceu?

x

Liam foi prontamente até a porta do hospital e viu Louis, quem ele procurava. Aproximou-se dizendo:

— Já pode ir lá falar com o Harry, ele… — Pausou, vendo o seu celular nas mãos de Louis. — Esse celular é meu?

— Harry recebeu alta?

Liam balançou a cabeça. — Não, mas dá para conversar e o que você tá fazendo com o meu celular?

Louis entregou a Liam o aparelho, fazendo menção em entrar no hospital. — Mary tá na linha!

Liam franziu as sobrancelhas, levando o celular à orelha. Maryane exclamava diversas coisas, pedindo por atenção.

— Amor, calma, o que foi?

— Liam? — Maryane quase gritou. — O que aconteceu aí? Louis parou de falar e você chegou dizendo que o Harry…

— Maryane, calma — Liam pediu. Ela falava rápido, sem respirar. — Calma, amor, tá tudo bem agora.

— O que aconteceu?

Liam estreitou os olhos olhando em volta e achou alguns bancos de praça, aproximando-se destes, enquanto começava a falar:

— Então, estávamos no McDonald’s quando Louis saiu doido do banheiro, porque a mãe da Jenny tinha ligado. — Ele se sentou em um dos bancos. — Ela estava no hospital, com o Harry e o pai da Jennifer. Ela disse que havia ido ao supermercado depois do almoço para comprar umas coisas porque ia fazer um jantar especial à noite e quando voltou, a porta de entrada estava aberta e ela ouviu uns gritos do quarto da…

— Liam, vá direto ao ponto!

— Maryane, calma! — Liam exclamou, fazendo Maryane bufar. — Bom, o Harry estava lá sozinho no quarto, gritando algo sobre as pernas dele e a Loren ficou desesperada e ligou para a ambulância. Já está tudo bem, Harry já pode receber visitas e…

— Mas o que aconteceu com a Jennifer?!

Liam suspirou. — Até então, Jennifer sumiu.

— Meu Deus.

— Eu não sei o que aconteceu, ia perguntar para o Harry agora, vim chamar o Louis e você estava ao telefone com ele.

— Vai lá falar com ele — disse Maryane, mordendo a boca diversas vezes. — Mas me mantenha informada!

— Certo — disse Liam. — Te ligo assim que puder.

x

“Minha estrela está desaparecendo, e eu não vejo nenhuma chance de libertação”.

Amsterdam – Coldplay

— Seu imbecil, era pra você estar repousando e não inventando de andar — Louis observou, cruzando os braços.

— Tive meus motivos — Harry sussurrou calmamente, evitando contato visual com todos ali presentes.

Liam lançou um olhar confuso para Niall, que apenas deu de ombros em resposta. Zayn se sentou ao fim da cama, cutucando a barriga de Harry, perguntando:

— Sente dor ainda?

— Um pouco — murmurou Harry, fungando. — Mas não nas pernas.

— Aonde sente dor? — Perguntou Niall, aproximando-se. — Temos que falar com o médico!

— Ele não vai saber cuidar disso — Harry disse, com os lábios tremendo. Sua voz estava fraca e seu coração apertado. Olhou para cima, finalmente vendo os rostos dos seus amigos. — Vocês podem me deixar sozinho?

Todos no recinto entreolharam-se. Na verdade, os cinco pensavam em apenas uma pessoa: Jennifer.

Louis respirou fundo. — Harry, a Jayjay vai aparecer logo, não se preocupe.

— Por favor, me deixem sozinho — Harry insistiu, segurando-se ao máximo para não chorar na frente de ninguém. — Eu preciso descansar.

Ninguém sabia o que dizer. Não existia algo que o consolasse, na verdade. Todos no fundo sabiam que Jennifer tinha sumido por causa dele e provavelmente não queria vê-lo. Fingia não se importar.

— Espero que descanse mesmo — disse Louis, quebrando a calmaria.

Harry não respondeu, apenas meneou a cabeça minimamente. Os meninos restantes se levantaram e entreolharam-se, antes de rumarem à saída. Harry, involuntariamente, sentiu as lágrimas cobrindo sua visão e deixando-a embaçada.

Fechou os olhos, sentindo o maldito líquido escorrendo em suas bochechas.

Ele e Jennifer haviam, finalmente, chegado ao ápice, que diziam não existir. E Harry estava convicto, porque não existia uma maneira de continuarem como estavam. Brigando o tempo todo, fazendo mal um ao outro, cada dia deixando o relacionamento ainda mais depreciativo.

Bastava.

Os dois estavam fartos.

Então Harry não insistiria. Deixaria que o tempo o curasse e que o destino o guiasse — sem insistir que guiasse para sua estrela.

“Se for para ser, então será”, ele pensava.

OLÁ, ESSE CAPÍTULO FICOU BEM MERDA, MAS COMPENSAREI COM A SUPER NOVA TEMPORADA QUE ESTÁ VINDO. GENTE, NUNCA FIQUEI TÃO ANSIOSA PRA UMA TEMPORADA AHHHH DEPOIS DOU DETALHES. DMKGASDMGA MAS, PRA VIR, QUERO MUITOS COMENTÁRIOS. CLIQUEM AQUI E COMENTEM NO TWITTER. BEIJO AMO VOCÊS.

posted 3 months ago with 8 notes
# amando uma estrela

(Source: zedmaliks)

posted 3 months ago with 38,245 notes
via: zayncangetsome source: zedmaliks

Oiiiiiiii.

Gente, OLÁ, como estão nessa bela manhã de quinta-feira? Espero que bem. Então, basicamente eu sumi, sim, mas eu estou de férias e realizei uma viagem. Cheguei dia 6 e agora estou organizando minhas coisas de fanfic, he.
Uma coisa que eu percebi é que por enquanto Amando Uma Estrela é o que importa, vocês mandaram várias asks sobre isso, então, farei o seguinte: Postarei o último capítulo da temporada até o fim dessa semana, e a quarta temporada eu começo não sei quando, mas voltando com todas as fanfics de uma vez.
Certinho? Ótimo. Então, amo vocês e volto em breve com AUE. ♡
Beijos, Rafa.

posted 3 months ago with 2 notes

Capítulo 14 - Around.

Nenhuma parte do cérebro de Harry pôde com sucesso impedir de que seus lábios se curvassem em um sorriso admirável ao ver o brilho nos olhos castanhos de Jennifer. Ela sorria da mesma forma, incrédula um pouco, pode-se dizer, mas extremamente alegre. O que Harry dissera a impressionara e a surpreendera.

— Jennifer — murmurou ela, contendo a risada. — Prefiro Jay, ou Jenny, Jayjay, Jen…

— Gosto de nomes multiapelidáveis — riu Harry, interrompendo. — E de moças belas como você.

Jennifer meneou a cabeça. — Fico lisonjeada.

— Somos da realeza agora? — Harry ergueu as sobrancelhas.

— Aparentemente — murmurou Jennifer, com uma curta risada. — Estamos na Inglaterra, afinal.

— Talvez estejamos exagerando — Harry disse. — Não precisa ser tão… do começo.

— Você que começou se apresentando.

— Devíamos pular algumas partes.

Jennifer faria um comentário a seguir, se não fosse interrompida pela porta abrindo-se subitamente, apesar de que com leveza. Era Loren, apresentando certo receio em seu rosto. Ao lançar o olhar para as mãos de Harry e Jennifer entrelaçadas, uma leve curva surgiu na lateral de sua boca.

— Espero não estar atrapalhando nada — disse Loren, adentrando no quarto, fechando a porta atrás de si.

Harry soltou a mão de Jennifer, fazendo com que ela o olhasse naquele mesmo instante, um tanto confusa. Harry apenas sorriu, passando tranquilidade, como se dissesse que tudo estava bem.

— Não está atrapalhado — murmurou Harry, umedecendo os lábios. — Estávamos só resolvendo umas coisas.

— O que eu quero é coisa rápida também.

— Eu não vou conversar com ele — Jennifer cortou o doce do diálogo dizendo com frieza. — Se veio por isso, pode ir embora.

— Não fale assim comigo — pediu Loren, erguendo uma de suas sobrancelhas. — Você sabe que precisa.

— Não preciso — insistiu Jennifer. — E não vou.

— Minha filha…

— Você sabe o que ele fez! — Jennifer exclamou, fazendo Harry mexer-se inquieto na cama.

— Você sabe que ele se arrepende — Loren disse, ainda calmamente. — O que ele fez não foi certo e eu concordo, mas ele merece outra chance, Jennifer.

— Ele devia ter dito pra mim.

— Eu sei, Jenny.

— Pois bem. — Jennifer cruzou os braços. — Não vou falar com ele.

— Jay — Harry resolveu se pronunciar, começando a se incomodar com a situação. — Vai lá falar com ele.

Sua voz calma e terna em sussurro, fazia o coração de Jennifer se derreter. Ela o olhou e se sentiu fraca, perdendo sua pose.

— Mas Harry, por causa dele, nós dois…

— Eu sei. — Harry sorriu. — Mas vai fazer mal a você, uma coisa que já não faz mais mal pra gente.

Jennifer permaneceu em silêncio e Harry deu continuidade:

— Estamos bem, não estamos? — Perguntou ele. — E se não, vamos ficar bem. Tudo vai ficar bem.

— O que ele fez foi imperdoável.

— Ele pensou que estava te protegendo — murmurou Harry. — E isso é perdoável sim.

— Harry…

— Ei — Harry interrompeu. Esticou o braço e com a ponta do dedão, tocou a bochecha de Jennifer, sorrindo. Umedeceu os lábios e sussurrou, bem baixinho: — Eu amo você. Vai ficar tudo bem agora.

Loren começou a morder os lábios para que não se manifestasse com um grande sorriso. Fingia não estar ali, mas sabia que não era invisível, e sabia o que estava por vir. Então, disse:

— Ele está te esperando. — Abriu a porta, colocando metade do corpo para fora. — Vou deixar vocês sozinhos por enquanto.

Ao ouvir o barulho da porta se fechando, o coração de Jennifer pulou, porque Harry deslizou a mão até a nuca dela. Ela sentiu os pelos do seu corpo se arrepiarem e começou a perder o controle sobre seus atos, começando involuntariamente a se inclinar para Harry.

Harry percebeu e deu um sorriso maroto, inclinando o pescoço também. Porém, surpreendendo até a si mesmo, beijou Jennifer na bochecha. Um beijo demorado, molhado e quente — na bochecha.

Jennifer acordou do transe e se afastou, um tanto confusa e decepcionada.

— Não vamos pular tantas partes assim — murmurou Harry, sorrindo infantil. — Por mais que eu queira, mas acabamos de nos conhecer.

— Queria que você não levasse as coisas tão a sério.

Harry deu de ombros, rindo. — Seu pai está te esperando.

— Eu sei — Jennifer disse, se levantando. — Não saia daqui.

— Nem se eu pudesse.

Jennifer deu um grande sorriso e se levantou, seguindo para a saída. Estava perceptivelmente mais feliz, mexendo os braços de jeito incomum. “Linda”, Harry sussurrou, quando Jennifer fechou a porta.

x

— Está tudo certo, Liam — disse Maryane ao telefone, sorrindo para um quadro preso à parede. — Eu só fiquei um pouco incomodada com a sua voz falha, mas já entendi perfeitamente.

— Você me assustou — Liam revelou, meio a uma curta risada. Depois, lançou o olhar a Niall, que dormia com as mãos no rosto, uma delas segurando seu celular. Liam riu mais uma vez. — Você tem que ver a situação atual do Niall.

Maryane também riu. — Como assim?

— Ele dormiu mexendo no celular — explicou Liam. — Provavelmente está babando na tela.

— Que nojo! — Exclamou Maryane, imaginando a cena. — Por que eu tenho que ver isso?

Liam gargalhou. — Porque é hilário.

Maryane balançou a cabeça negativamente. — Tira uma foto pra mim então — riu, enquanto dizia. Faria outro comentário, quando a campainha a interrompeu. — Ah, campainha, deve ser o cara da casa. Depois te ligo, beijo.

— Tudo bem — Liam murmurou. — Tchau amor, amo você.

— Também amo você.

Maryane sorriu e soltou um breve suspiro enquanto encerrava a ligação. Levantou-se do sofá com um pouco de dificuldade e curvou as costas para trás, tentando sustentar o peso acrescido por Leonard. Então, andou em lentos passos até a porta de entrada da casa que estava, a que costumava viver com Ashley. Tinha ido lá para atender o senhor da imobiliária, para que parasse de gastar o dinheiro de sua mãe no aluguel da casa, já que mudaria oficialmente para a casa de Liam, com todos os impasses sobre sua gravidez e a mídia já resolvidos.

Colocou um sorriso simpático e receptivo no rosto e girou a maçaneta. Seu sorriso logo se desfez, vendo quem esperava ao outro lado da porta, com um belo buquê de rosas vermelhas em um dos braços. Seu queixo caiu, deixando seus lábios abertos.

Oi Mary — disse ele, com a palavra de cumprimento em português.

X

— Duvido que a Ash vá aparecer — Zayn disse, com o rosto enterrado entre as mãos. — Ela ficou… muito brava, Louis.

— Lógico que vai — Louis afirmou confiante, enquanto preparava o chat em vídeo. — A Bella disse que ela vai.

Zayn suspirou. — Queria que a Ash fosse tão compreensível quanto a Bella — murmurou ele, descansando as mãos nos joelhos. — Digo, ela não ficou nem um pouco brava com você, Lou?

Louis tossiu nervoso. — Não! — Disse ele, sorrindo falsamente. — Ela… compreendeu perfeitamente.

— Inveja de você.

— Eu sei escolher quem namorar. — Louis piscou. Depois tossiu mais uma vez. — Enfim, é, vamos… vamos ao chat.

A tela se acendeu, revelando Isabella e Ashley com pequenos sorrisos em suas faces. Ao ver Zayn, o sorriso de Ashley sumiu e ela revirou os olhos. O coração de Zayn apertou.

— Antes de começar a gritar — começou Zayn, apreensivo —, por favor, atenda minhas ligações e resolveremos isso sem escândalos.

Bella lançou um olhar para a tela onde Zayn estava e olhou para Ashley, repetindo o ato mais uma vez. Sentiu pena de Zayn e incentivou Ash a ceder com seu olhar.

— Eu não vou atender — disse Ashley, antes de cruzar os braços. — E eu definitivamente não vou ficar aqui te encarando.

— Amor…

— Não me chama de amor — Ashley pediu, aproximando-se da tela. — Você acabou com a carreira de um cara por causa de ciúmes, Malik, ciúme!

— Ash, eu não queria acabar com a carreira dele, só que achassem uma fotógrafa!

— Não precisava disso!

— Ele nem tirava foto sua! — Zayn gritou.

Ashley balançou a cabeça negativamente e Bella encolheu os ombros. Louis apenas observava sem dizer uma palavra.

— Não interessa, Zayn, era um cara que trabalhava comigo e que perdeu o emprego por causa do meu namorado, você não vê isso?

Zayn bufou. — Eu vejo que além de ser seu divertimento nas redes sociais com toda aquela baboseira de vocês dois no Twitter, ele era o que te motivava a trabalhar também, é isso que eu vejo.

— O que você está insinuando?

— Por favor, parem, isso é ridículo — pediu Louis, interrompendo o diálogo, colocando a mão sobre o ombro de Zayn. — Vamos resolver isso como adultos, pode ser?

— Não tem como porque minha namorada não é adulta o suficiente como a sua. — Zayn ergueu as sobrancelhas, cruzou os braços e girou o pescoço, recusando-se a olhar para a tela.

— Cala a boca, Zayn, o Louis não fez nada pra deixar a Bella com raiva! — Ashley exclamou.

Zayn voltou a olhar para a tela, incrédulo, e Louis engoliu em seco.

— O quê? — Zayn franziu as sobrancelhas. — E-Eu só dei a ideia, foi o Louis quem ligou pra lá e disse todas aquelas coisas!

— Mentira! — Bella exclamou.

— É a verdade! — Zayn gritou. Depois, lançou o olhar a Louis, com os lábios semiabertos. — Louis?!

Louis mais uma vez engoliu em seco e lentamente tirou a mão do ombro de Zayn, acertando sua pose. Cerrou os lábios e preferiu fingir que era um desconhecido.

— Louis, você colocou a culpa toda em mim? — Zayn perguntou, relaxando os ombros, desapontado.

— Do que o Zayn está falando, Louis? — Bella interveio na conversa.

Louis cerrou os olhos fazendo uma careta. Naquele momento, sentia medo e vergonha ao mesmo tempo. Mais do que quando falara para Bella que Zayn fizera tudo sozinho, ele pensava. Zayn o empurrou pelo ombro, tirando-o de devaneios, quando gritava:

— Desembucha!

— Calma, Zayn! — Louis gritou, devolvendo o empurro, dando um pouco mais de efeito por Zayn ser mais magro e consequentemente mais leve.

— Não!

— Eu vou explicar! — Louis gritou mais uma vez, levantando as mãos ao alto, em uma tentativa de acalmar Zayn ao seu lado.

Ashley cruzou os braços e Bella passou a não piscar enquanto encarava a tela e consequentemente encarava Louis gesticulando bastante, perceptivelmente pensando em o que dizer.

Depois de segundos em silêncio, Louis bufou.

— Tudo bem, eu… Merda. Sim, eu ajudei o Zayn.

— Você quase fez tudo! — Zayn interrompeu.

— Deixa o Louis falar! — Ashley repreendeu-o.

Louis engoliu saliva. — E-Ele deu a ideia de brincadeira e eu incentivei. Realmente era só pra acharem uma fotógrafa, mas eu aumentei a mentira quando liguei para o estúdio porque… — fez uma pausa para fechar os olhos e suspirar. — A verdade é que eu não queria que o Mark estivesse perto da Bella, mesmo não a fotografando.

— Louis…

— Espera, Bells — Louis interrompeu Isabella. — Eu menti para o Zayn, dizendo que só pedi para que colocassem uma fotógrafa e eles acabaram tirando o Mark…

— E mentiu pra mim — Bella sussurrou, decepcionada.

— Eu ia te falar, Bells, mas você começou a descontar sua raiva pelo Zayn no telefone e eu fiquei com medo de te perder por causa disso! — Louis estava levemente desesperado àquele ponto. — Eu não suporto a ideia de você com raiva de mim, desculpa…

Bella encarou a tela e Louis por um instante, tentando absorver todas as informações que recebera naqueles poucos minutos. Estava decepcionada e também com raiva. Afinal, já havia deixado claro para Louis que o amava e somente o amava. Mark não merecia ter sido demitido.

Ashley lançou um olhar tristonho para Bella e para Zayn também, repensando seus conceitos. E, de repente, assustou-se, porque Isabella fechou a tela do computador com relativa força, desligando o chat e deixando um breu no computador de Louis. Ashley a encarou e Bella levantou-se desnorteada, deixando sua amiga sozinha no sofá.

— O que aconteceu? — Zayn perguntou confuso.

— Ela desligou — Louis sussurrou em resposta. — Ela me odeia agora.

Zayn abaixou levemente a cabeça e permaneceu em silêncio, pensando em palavras de consolo que poderia utilizar. Apesar de que, na verdade, precisava daquelas palavras também.

— Você também? — Louis levantou o olhar a Zayn, perguntando em um fio de voz.

Zayn olhou para Louis e deu um meio sorriso. — Não, cara — murmurou ele, balançando a cabeça negativamente. — Você me culpou, mas depois se humilhou na minha frente e está sofrendo as consequências da nossa idiotice junto comigo. Eu não tenho motivos pra te odiar.

Louis deu um sorriso fraco e assentiu várias vezes. — Vamos resolver isso, Zayn. Vamos resolver tudo — afirmou ele, dizendo como uma criança.

Zayn respirou fundo e umedeceu os lábios. — Espero que esteja certo.

Naquele mesmo instante, o celular de Zayn começou a tocar.

X

— Isso só pode ser brincadeira — Maryane sussurrou bem baixo, como se estivesse conversando com sua mente.

Lucas deu uma risada nasalada. — Não é — disse ele, com um sorriso torto e levemente tímido.

Ela evitou o contato, olhando para sua barriga. Acariciou-a e disse:

— Uma grande surpresa, então.

Lucas riu, assentindo. — Isso, talvez — disse ele, erguendo as sobrancelhas. — O… Liam não está aí com você, está?

Maryane soltou um suspiro e fechou lentamente os olhos, tentando acostumar-se com a ideia de que Lucas estava à sua frente, com um belo buquê de rosas, perguntando sobre Liam. Quis evitar contato com a beleza evidente que o compunha novamente, abrindo mais a porta, olhando para dentro da casa, sua antiga sala.

— Não — disse ela, calmamente, mostrando a casa vazia, evidenciando sua resposta.

— Ah, que bom — Lucas murmurou, perceptivelmente aliviado. — Não vou morrer hoje.

Maryane não se conteve em soltar uma risada. Logo repreendeu a si mesma por seu deslize porque Lucas sorriu apaixonantemente assim que ela riu. Ela começou a tossir nervosa e demorou um pouco para voltar a respirar normalmente.

— Mas o que você faz aqui, afinal? — Perguntou, dando um sorriso amarelo, tentando ser gentil por ser facilmente afetada pela beleza de Lucas, e ao mesmo tempo querendo que ele sumisse, pelo mesmo motivo.

— Ah, sim, é uma longa história, na verdade — Lucas murmurou, passando o peso do seu corpo de uma perna para a outra. — Eu esperava que aceitasse ir a uma cafeteria comigo para que pudéssemos conversar um pouco.

— Não posso — respondeu Maryane bruscamente. A tosse voltou. — Quero dizer, eu estou esperando o dono da casa para conversarmos. Vou me mudar oficialmente para a casa do Liam, meu… namorado, pai do meu filho, entende?

Lucas encarou Maryane e assentiu algumas vezes, dando uma risada extensa. — Entendo, Mary — disse ele, sorrindo. — E eu sei de todas essas coisas, não precisa dar ênfase. Seu namorado, “pai do seu filho”, é famoso, não sei se sabe, e aparece na televisão o tempo todo.

Maryane deu um sorriso falso. — Obrigada por entender então, tenha um bom dia — disse ela rapidamente, empurrando a porta para fechar, não se importando em que ficasse um pé solitário dentro da casa.

— Maryane, eu sou o dono da casa — Lucas disse relativamente alto, segurando a porta com apenas uma mão, impedindo que ela se fechasse. — Meu pai arranjou essa casa pra vocês, lembra?

Maryane fechou os olhos lentamente e teve vontade de se estapear, soltando a porta. — Eu realmente tinha me esquecido.

“Só pode ser brincadeira”, ela não parava de repetir mentalmente.

— E deve ter esquecido também que você me deixou sozinho no nosso primeiro encontro, depois da primeira pergunta que eu te fiz, para ir atrás de um cara — murmurou Lucas. — Eu devia ser o grosso aqui, não acha?

Maryane soltou um suspiro e mordeu o lábio inferior. A beleza de Lucas era criminosa, então ela tinha plena noção de suas responsabilidades e mais ainda de seus compromissos, mas sentia receio. E ao mesmo tempo não via tanta maldade.

— Só um café, Mary — disse Lucas, despertando-a de devaneios. — Não tenho outras intenções além de uma boa amizade com você.

Estava farta de ficar em casa, estava farta de não ter novidades e Lucas parecia sincero com suas palavras. Ela já era quase uma adulta, saberia se cuidar se fosse preciso.

— Só aproveitei a oportunidade que tive de te ver hoje para recuperar o pouquinho de amizade que começamos a ter — Lucas insistiu, ao ver que não chegavam respostas.

— Tudo bem — Maryane disse por fim, despertando um sorriso grande e surpreso de Lucas. — Starbucks, conversaremos sobre a casa.

Lucas levantou a mão vaga para o alto, como se estivesse se rendendo. — É você quem manda.

[Quem não se lembra do Lucas, ele apareceu em alguns capítulos da primeira temporada, a partir do trigésimo sexto. E, sim, eu ainda o imagino como o Rodrigo Hilbert.]

x

Após desligar o telefone, Liam suspirou e seus ombros murcharam, pois sentiu tédio. Olhou para Niall que dormia sereno e sentiu ainda mais tédio. Farto da situação, ele pegou uma almofada e jogou contra o que dormia tranquilamente, fazendo este cair no chão e acordar.

— Que desnecessário, Liam! — Niall exclamou estirado no chão, devolvendo a almofada.

Liam se desviou do ataque, rindo. — Foi mal, tava entediado.

Niall já se levantava, bufando. — Foi péssimo — murmurou, jogando o celular sobre o sofá, enquanto se sentava no mesmo. Depois, respirou fundo. — Só que não era pra eu estar dormindo, de qualquer forma. A Julia tava me mandando umas mensagens sobre o dia dela ontem, acabei pegando no sono.

Liam riu. — Julia ama contar histórias.

— Sim — Niall disse, com a expressão cansada. — Já ouviu alguma?

— Uma vez eu e ela estávamos ajudando a Ash no jantar, então ela viu um pimentão, eu acho, e contou uma história engraçada sobre ela em um supermercado.

— Ah, que ela derrubou todos os pimentões de todas as cores?

— Isso! E fez um arco-íris no chão, diz ela.

Niall assentiu. — Ela já me contou isso sete vezes, no mínimo.

Liam gargalhou. — Então depois, ela começou a contar todas as histórias de supermercado possíveis que conhecia. Tipo, que nem eram sobre ela.

Niall assentiu diversas vezes. — Com a Julia é tipo “o amigo do avô do primo do meu amigo já fez isso” — murmurou. — É uma merda, eu já cansei disso.

Liam ergueu as sobrancelhas, surpreso. A expressão de Niall falando sobre Julia não era nem um pouco amorosa. Aparentava desprezo.

— Cuidado com o que diz, Niall — Liam murmurou, ainda erguendo as sobrancelhas. — Você parece cansado da Julia.

— Não é isso — Niall disse. — Cansado das histórias chatas dela, não dela.

— Continue com cuidado — Liam insistiu. — Daqui a pouco isso estraga o relacionamento de vocês.

— Isso nunca vai acontecer — Niall constatou com firmeza. — Porque eu simplesmente não consigo contestar as coisas que ela faz.

Liam franziu as sobrancelhas. — Prossiga.

— Eu não consigo contestar, Liam, se eu não gosto, fica por isso mesmo, sabe? — Niall esticou as pernas, não deixando mais que suas costas encostassem-se ao sofá, e entrelaçou as mãos. — Ela vai continuar falando, eu vou continuar fingindo que me interesso e ela vai continuar não percebendo que eu finjo.

— Dá pra fazer um rap com isso.

Niall fuzilou Liam com os olhos. — Obrigado por sua ajuda.

Liam gargalhou mais uma fez, apertando os olhos, como característico. — Desculpa — murmurou, dando de ombros. — Você precisa falar com ela, Niall.

— Não, ela vai ficar chateada.

— Mas você não pode ficar aguentando as coisas sem dizer nada — Liam insistiu. — Vocês têm que chegar a um acordo.

— Isso foi a coisa mais ridícula que eu já ouvi.

— É sério! — Exclamou Liam. — Relacionamentos são à base de acordos, meu caro.

— Que acordo, Liam? — Niall voltou a se sentar corretamente no sofá. — Ela não conta histórias e eu fico feliz, grande acordo.

— É um grande acordo.

— Acordos têm que ser justos. Benefícios para os dois lados.

Liam estreitou os olhos, pensando. — É verdade.

— Cara, você tem problemas.

— Não! — Exclamou. — Eu simplesmente ouço o que o Harry fala, tenho que parar com isso. Ele me disse que com acordos não há brigas.

— Harry e seus conselhos. — Niall revirou os olhos. — Ele e Jennifer precisam de centenas de acordos então.

Liam gargalhou, concordando. — Tá, esquece o Harry e o acordo — disse, quando cessou a risada. — Você tem que falar com a Julia, o quanto antes.

— Não tenho não, deixa isso pra lá. — Niall se levantou, com o celular em mãos. — Liga pro Zayn aí que vou ligar para a Julia, desculpando-me e dizendo que estou indo almoçar na rua com vocês.

X

“E parece que os problemas vieram todos à nossa volta”

Gravity – Coldplay.

Jennifer sentou-se ao lado de Harry na cama e deixou seu corpo se esticar, apoiando a cabeça no travesseiro. Permaneceu em silêncio, o que incomodou a Harry, que logo se pronunciou:

— Obrigado pelos mimos no almoço — murmurou ele, olhando para a lateral do rosto dela. — Mas não entendi muito bem.

— O que não entendeu? — Ela prontamente perguntou, encarando-o.

Harry sorriu. — Você me trouxe comida na cama, deu na minha boca, mas com esse silêncio mortal, ignorando meus comentários.

Ela voltou a olhar para cima. — Não é nada demais.

— Claro que é — Harry disse, deitando-se assim como ela. — O que aconteceu?

Jennifer não respondeu. Perguntava-se como ele podia estar perguntando o que tinha acontecido. Ele havia mudado o curso de mais um beijo quando ela foi, mais uma vez, beijá-lo, dando a mesma explicação ilógica sobre o recomeço. Ela não entendia como ele conseguia fingir que nunca havia visto-a antes, como ele conseguia fingir que nunca havia a amado.

— Uh, é um tipo de tratamento de silêncio? — Harry perguntou, meio a risadas. Jennifer fechou os olhos. Harry cessou o riso. — Jay, fala comigo, está me preocupando.

— O que você quer que eu faça, Harry? — Ela perguntou de repente, o assustando pelo tom. — Sorria por parecer que você não quer mais nada comigo?

Harry franziu as sobrancelhas. — Do que você tá falando?

— Esse recomeço e como você está levando-o a sério. — Jennifer se sentou. — Não tem como recomeçar a vida com uma pessoa, Harry, se você passou nove meses com ela, tendo um romance com ela, não tem como fingir que somos desconhecidos e que eu não sei nada sobre…

— Ei, ei, calma — Harry a interrompeu, tentando sentar-se também. — Eu não entendo, Jay, você que quis recomeçar.

— Mas não… assim — Jennifer disse, batendo uma das mãos em sua coxa. — Quero dizer, eu que não entendo!

— Jennifer, isso é… romantismo — Harry murmurou, umedecendo os lábios. — Eu quis fazer diferente do que simplesmente te beijar e tudo passar despercebido. Eu cansei disso. Eu sofri por muitos meses pra depois te beijar e te amar como se nada tivesse acontecido.

— Mas o amor é isso.

— Não é — Harry retrucou. Aparentava-se um pouco nervoso. — Amor não é o que nós tínhamos, Jennifer, é o que eu quero que seja. Eu quero que dê certo.

— Então você nunca me amou?

Harry fechou os olhos lentamente e respirou fundo, recusando-se a olhar para Jennifer. — Você nunca entende o que eu falo.

— Talvez porque não tem nexo o que você fala.

— Lógico que eu te amei! — Harry exclamou, voltando a olhar para Jennifer. — E eu amo você, mas… não estávamos fazendo isso certo. Não falo do sentimento, falo do…

— O problema é que você complica tudo! — Jennifer interrompeu-o. — Nenhum ser humano fica pensando nas baboseiras que você pensa, nós nunca vamos ter um relacionamento normal, Harry.

— Baboseiras?

— Sim. — Jennifer cruzou os braços.

Harry bufou. — Jennifer, você não percebe o quanto nós brigamos, o quanto nos machucamos, quanto mal já fizemos um para o outro? — Harry perguntou, começando a se irritar. — Olha só a discussão estúpida que estamos tendo agora!

— Por que você não pode me beijar e a gente fingir que nada disso aconteceu? — Jennifer indagou, balançando a cabeça. — Meu Deus, você complica sim, Harry, você sabe como é fácil lidar com nossas brigas, sempre foi!

— Quer dizer então que eu posso matar um cara por ciúmes depois eu te beijo e fica tudo bem?

— Não vou nem te responder.

— Você não sabe o quanto uma estúpida mensagem, um estúpido mal entendido mudou a minha vida toda, Jennifer, eu não vou beijar você e esquecer tudo isso.

— Mas você pode! — Jennifer gritou. — Porque, exatamente como você disse, foi por um estúpido mal entendido que ficamos dias e dias distantes um do outro, e você recusar ficar comigo depois disso é como se a culpa fosse minha!

— Jay, você não entende…

Você que não entende! — Jennifer gritou mais uma vez, a plenos pulmões. Já tinha se levantado da cama, então jogou um travesseiro no rosto de Harry, assustando-o. — Você nunca entende, Harry!

Parece que Jenrry nunca vão se entender, mas eu não confirmarei isso, porque ainda tem muito por vir!!! O próximo capítulo será o último da temporada, e já, já, teremos Amando Uma Estrela IV! Então, se gostou desse capítulo, curta o post, e comente, clicando aqui. Sei que não foi tudo que esperavam, mas não posso passar disso por enquanto. O CAPÍTULO 15 PROMETE. Comentem aqui, e/ou no Twitter. Obrigada, beijos.

posted 3 months ago with 9 notes
# amando uma estrela

Bom, eu tô aqui na sala porque eu dormi aqui porque essa fotinha aí em cima é a situação atual do meu quarto. AQUI NÃO PARA DE CHOVER!
Não sei se sabem, mas o computador fica no meu quarto [tô no celular] e eu definitivamente não quero levar um choque, ou coisa parecida. O chão no meu quarto tá cheio de panelas e tá encharcado.  Eu não sei o que vai ser de mim agora.
Porém, assim que tudo se estabilizar, eu vou postar e tudo vai entrar nos eixos. Deus vai abençoar para que seja ainda nessa semana.
Vou tentar conseguir postar dia 25, como um presente de natal, he. ♡
Enfim. Eu não estou mentindo em relação a nada e eu só peço (se eu tenho algum direito) paciência, só mais um pouquinho.
Já estou preparando tudo para uma volta triunfal.
AMO VOCÊS, beijos, Rafa.

posted 4 months ago with 2 notes
deaar-diaryy:
amr, fica tranquila em questão do atraso da att das fanfics euehuhe nós te entendemos, vc nunca vai perder essa leitora aqui>>euu<< , amo demais AUE e espero o tempo q for pra sair perfeito *--*

Muito, muito obrigada, de verdade! <3

posted 4 months ago with 4 notes

Eu sinto muito, mesmo.

Minhas bochechas provavelmente devem estar vermelhas de vergonha agora, mesmo que vocês não estejam me vendo. Eu não quero ficar dando o que vocês chamam de desculpas, justamente porque vocês dão esse nome, mas eu acho que convém explicações sim.

Bom, não é justo da minha parte fazer promessas e passarem-se semanas e depois postar sem mais nem menos. Basicamente, eu escrevi o capítulo sim, mas eu não posto até estar 100% certa em relação a ele. Essa é a minha enrolação. Tenho no mínimo três capítulos, ou mais, que escrevo totalmente e simplesmente “descarto” por não achar conveniente postar.

Vocês têm que entender uma coisa: um capítulo, ou até mesmo uma frase que escrevo em um capítulo, comprometem a história inteira. Eu escrevo uma coisa, e depois tenho uma ideia pra outra coisa, que tem que ser realizada futuramente, mas sou impedida porque fiz algo em um capítulo e acrescentei limites. E não só isso, pode impedir uma cena inteira de se encaixar. Além de ser totalmente estressante pra mim, postar, se eu não estou gostando.

O que acontece enfim é que eu fechei uma ideia para o capítulo e está em processo de escrita, só que eu não sei quando vou poder terminar. Não sei se na cidade de vocês está assim, mas aqui estão tendo chuvas absurdas. Minha casa tá enfestada de goteiras, por todos os cantos, meu quarto as paredes terão que ser novamente pintadas porque a água estragou com o teto e por enquanto, com os trovões e os cortes de luz, minha mãe me proibiu de mexer no computador. Estou atualmente na casa do meu tio, escrevendo esse texto.

Eu sei que perdi leitores, e isso dói muito, mas infelizmente vejo-me sem opções. Eu só não quero me comprometer no futuro postando um dos capítulos feitos, e quero me sentir bem o suficiente para postar. Isso faz parte.

Então, a partir de hoje, promessas, só se o capítulo estiver faltando no mínimo 500 palavras. Porque eu faço uma base, que o capítulo não pode ter menos de 3.000.

Eu sinto muito mesmo ter dado expectativas para vocês e isso não vai acontecer de novo.

No, mais, estou ansiosíssima para o último capítulo da terceira temporada, para as fanfics interativas, e mais ainda para a quarta temporada de AUE, que virá COM TUDO.

Eu AMO vocês e espero verdadeiramente que compreendam e não me abandonem. Eu ainda tenho muita treta de Jenrry pra vocês, he.

Mil beijos, Rafa. 

posted 4 months ago with 3 notes